Preços da carne suína sobem, com ambiente de equilíbrio; frigoríficos seguem adotando cautela

173
carne suína

Porto Alegre, 7 de junho de 2024 – A semana registrou preços mais altos tanto no quilo vivo quanto nos principais cortes de carne suína do atacado. Segundo o analista de Safras & Mercado, Allan Maia, as negociações envolvendo o animal vivo estão acontecendo em um ambiente de equilíbrio, mas com frigoríficos ainda mostrando certa cautela.

“Contudo, já há a sinalização de melhora no escoamento da carne, com expectativas positivas para o consumo na ponta final devido a entrada da massa salarial na economia. Os suinocultores apontam que a oferta de animais deve seguir em processo de ajuste no curto prazo, favorável para evolução de preços”, afirmou o analista.

Além disso, o analista pontuou que as exportações vêm apresentando ótimos desempenho, fator também positivo, o que favorece o ajuste da disponibilidade doméstica. “O preço do milho, principal componente da ração, recuou na semana em alguns estados, favorável para as margens dos suinocultores”, concluiu.

Preços

Levantamento de Safras & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país teve alta de 1,55% na semana, terminando em R$ 6,04. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado subiu de R$ 10,36 para R$ 10,50 (+1,38) e a média da carcaça teve avanço de 1,09%, atingindo R$ 9,82.

A análise semanal de preços de Safras & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo subiu de R$ 125,00 para R$ 130,00. Na integração do Rio Grande do Sul, o quilo vivo continuou em R$ 5,40 e no interior do estado passou de R$ 6,15 para R$ 6,25.

Em Santa Catarina, o preço do quilo na integração seguiu em R$ 5,40 e no interior catarinense o preço foi de R$ 6,05 para R$ 6,10. No Paraná, o preço do quilo vivo registrou acréscimo de R$ 6,10 para R$ 6,25 no mercado livre e, na integração, ficou estável em R$ 5,35.

No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande teve alta de R$ 5,90 para R$ 5,95 e, na integração, os preços seguiram em R$ 5,35. Em Goiânia, os preços tiveram valorização de R$ 6,20 para R$ 6,40. No interior de Minas Gerais, os preços subiram de R$ 6,60 para R$ 6,70 e, no mercado independente, o avanço foi de R$ 6,70 para R$ 6,90. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis foi de R$ 5,85 para R$ 5,90 e, na integração do estado, as cotações tiveram estabilidade de R$ 5,30.

Exportações

As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 210,066 milhões em maio (21 dias úteis), com média diária de US$ 10,003 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 91,629 mil toneladas, com média diária de 4,363 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.292,60.

Em relação a maio de 2023, houve queda de 10,7% no valor médio diário, alta de 0,8% na quantidade média diária e retração de 11,4% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Safras News

Copyright 2024 – Grupo CMA