Com ambiente de negócios equilibrado, viés do frango é positivo para curto prazo

190
frango

Porto Alegre, 7 de junho de 2024 – O mercado brasileiro de frango registrou preços acomodados durante a semana. Segundo o analista de Safras & Mercado, Allan Maia, há sinalização de que o ambiente de negócios está equilibrado, mantendo o viés positivo para o curto prazo, considerando que a reposição ao longo da cadeia tende a ser mais aquecida.

“O custo da nutrição animal segue no radar. O preço do milho registrou queda de preços em algumas localidades do país na semana, como é o caso de São Paulo. Não houve reporte de casos de influenza aviária na semana”, pontuou Maia.

O analista ressalta que os agentes de mercado estão com expectativas positivas tanto para o consumo na ponta final como para a reposição entre atacado e varejo no curto prazo, considerando a maior capitalização das famílias devido a entrada de salários na economia.

Por fim, Maia conclui dizendo que a exportação brasileira de carne de frango segue apresentando ótimo desempenho, cenário positivo para o quadro da disponibilidade interna.

Preços internos

Segundo levantamento de Safras & Mercado, no atacado de São Paulo os preços dos cortes congelados de frango não tiveram mudanças ao longo da semana. O preço do quilo do peito teve estabilidade de R$ 9,55, o quilo da coxa de R$ 6,60 e o quilo da asa de R$ 10,00. Na distribuição, o preço do quilo do peito seguiu em R$ 9,65, o quilo da coxa em R$ 6,70 e o quilo da asa em R$ 10,20.

Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário da semana também não apresentou alterações nas cotações durante a semana. No atacado, o preço do quilo do peito seguiu em R$ 9,65, o quilo da coxa em R$ 6,70 e o quilo da asa em R$ 10,10. Na distribuição, o preço do quilo do peito permaneceu em R$ 9,75, o quilo da coxa em R$ 6,80 e o quilo da asa em R$ 10,30.

O levantamento mensal realizado por Safras & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil apontou que, em Minas Gerais, o quilo vivo seguiu em R$ 4,85, e em São Paulo, em R$ 4,80.

Na integração catarinense a cotação do frango ficou em R$ 4,40. Na integração do oeste do Paraná, a cotação seguiu em R$ 4,55 e, na integração do Rio Grande do Sul, os preços continuaram em R$ 4,70.

No Mato Grosso do Sul, o preço do quilo vivo do frango ficou em R$ 4,70, em Goiás em R$ 4,75 e, no Distrito Federal, em R$ 4,80.

Em Pernambuco, o quilo vivo permaneceu em R$ 5,60, no Ceará em R$ 5,70 e, no Pará, em R$ 5,80.

Exportações

As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 752,660 milhões em maio (21 dias úteis), com média diária de US$ 35,841 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 424,917 mil toneladas, com média diária de 20,234 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.771,30.

Em relação a maio de 2023, houve baixa de 3,7% no valor médio diário, avanço de 6% na quantidade média diária e recuo de 9,2% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Safras News

Copyright 2024 – Grupo CMA