Preço do quilo vivo do suíno avança 22,5% em junho Centro-Sul

191

     Porto Alegre, 1 de julho de 2022 – O mercado brasileiro de suínos encerrou o mês de junho com um forte movimento de recuperação nos preços, especialmente na primeira quinzena. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, houve reação no quilo vivo e nos cortes negociados no atacado com o avanço da reposição ao longo da cadeia e com o ajuste nos estoques. “O preço do quilo vivo subiu 22,53% ao longo de junho no Centro-Sul”, destaca.

     Maia disse que o poder de negociação dos suinocultores independentes melhorou. “Contudo, as cotações do quilo vivo ainda não conseguiram encontrar patamares que permitissem o retorno das margens positivas em grande parte do Centro-Sul do país”, alerta.

     O analista afirma que a carcaça suína perdeu atratividade frente ao frango congelado no decorrer de junho, após o intenso movimento de alta. Por outro lado, a entrada da massa salarial e o alto preço da carne bovina na ponta final são fatores que podem favorecer o consumo no decorrer da primeira quinzena de julho. “Outro ponto positivo é que o custo da nutrição animal tende a cair ao longo das próximas semanas, com entrada da safrinha no mercado”, pontua.

     Levantamento de SAFRAS & Mercado apontou a média de preços do quilo vivo no país avançou de R$ 4,98 para R$ 6,09 ao longo de junho. A média preços pagos pelos cortes de pernil no atacado subiu 15,20%, de R$ 8,92 para R$ 10,29. A carcaça teve aumento de 22,56%, passando de R$ 7,93 para R$ 9,71.

     A análise mensal de preços de SAFRAS & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo passou de R$ 101,00 para R$ 136,00. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo seguiu em R$ 5,10. No interior do estado a cotação mudou de R$ 4,75 para R$ 6,25.

     Em Santa Catarina o preço do quilo na integração permaneceu em R$ 5,10. No interior catarinense, a cotação subiu de R$ 4,70 para R$ 6,20. No Paraná o quilo vivo passou de R$ 4,65 para R$ 6,30 no mercado livre, enquanto na integração o quilo vivo continuou em R$ 5,20.

     No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande aumentou de R$ 4,70 para R$ 5,90, enquanto na integração o preço continuou em R$ 5,00. Em Goiânia, o preço mudou de R$ 5,30 para R$ 7,10. No interior de Minas Gerais o quilo do suíno avançou de R$ 5,60 para R$ 7,30. No mercado independente mineiro, o preço subiu de R$ 5,80 para R$ 7,50. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis aumentou de R$ 4,65 para R$ 5,90. Já na integração do estado o quilo vivo seguiu em R$ 5,00.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA