Dólar acelera, impulsiona exportações e cotações do arroz seguem firmes

195

     Porto Alegre, 24 de junho de 2022 – O mercado brasileiro de arroz teve mais uma semana de preços firmes. Na média do Rio Grande do Sul, principal referencial nacional, a saca de 50 quilos do cereal em casca finalizou a quinta-feira (23) cotada a R$ 72,90, ante R$ 72,07 no dia 15. Era 2,89% mais alto frente ao mesmo período do mês anterior e 4,23% superior quando comparado ao mesmo período do ano passado.

     Segundo o analista e consultor de SAFRAS & Mercado, Evandro Oliveira, o mercado interno de arroz permanece calmo nas diversas praças de comercialização do país. “A moeda norte-americana avançou firmemente, encerrando na quinta-feira acima do patamar de R$ 5,20 pela primeira vez desde meados do mês de fevereiro deste ano e aumentando as expectativas dos agentes com novos negócios para exportação”, destaca.

     A colheita de arroz avançou para 100% da área estimada para a temporada 2021/22 nos seis principais estados produtores do Brasil (Tocantins, Maranhão, Mato Grosso, Goiás, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que representam 87% do total), conforme levantamento semanal da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com dados recolhidos até 18 de junho. Na semana anterior, a colheita estava em 99,9%. Em igual período do ano passado, o número era de 100%.

     A Argentina deverá cultivar uma área de arroz de 200 mil hectares na safra 2021/22, mesmo patamar registrado na temporada anterior (2020/21). Os números fazem parte de relatório mensal do Ministério da Agroindústria da Argentina. No mês anterior, a estimativa era a mesma. O Ministério estimou a produção de arroz da Argentina na safra 2021/22 em 1,2 milhão de toneladas. Representa uma queda de 14,3% frente a temporada 2020/21, quando foram produzidas 1,4 milhão de toneladas. Ante o mês anterior, houve estabilidade.

     Rodrigo Ramos/ Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA