Com suinocultores tentando reajustes, preços seguem subindo devido a boa demanda de carne suína

445
suínos

Porto Alegre, 8 de dezembro de 2023 – A semana registrou valorização tanto do quilo vivo quanto dos principais cortes de carne suína no atacado. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, houve certo grau de acirramento nas negociações envolvendo o animal vivo no Centro-Sul do país.

“Foi possível observar suinocultores tentando reajustes, tentando recompor margem e sinalizando que a oferta está justa. Os frigoríficos, por sua vez, adotaram postura cautelosa nas tratativas”, pontuou.

De acordo com Maia, as expectativas agora giram agora para o consumo na ponta final e por possível ajuste pontual de estoques das varejistas, devido ao período de festas, na segunda quinzena. “A maior capitalização da população é fator favorável para o consumo ao longo das próximas semanas. Os frigoríficos carregam alguma preocupação para janeiro, com possível retração da demanda. Ainda como pontos de atenção pode-se citar o avanço do preço do milho no país, por conta da retração dos produtores na fixação de oferta e o preço da tonelada da carne suína exportada, que patina”, conclui o analista.

Preços

Levantamento de SAFRAS & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país avançou 1,16% na semana, passando de R$ 6,12 para R$ 6,19. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado aumentou 1,72%, passando de R$ 10,80 para R$ 10,99. A carcaça teve valorização de 1,44%, passando de R$ 9,88 para R$ 9,99.

A análise semanal de preços de SAFRAS & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo teve alta de R$ 130,00 para R$ 131,00. Na integração do Rio Grande do Sul a estabilidade foi de R$ 5,25 e, no interior do estado, o avanço foi de R$ 6,35 para R$ 6,45.

Em Santa Catarina, o preço do quilo na integração continuou em R$ 5,30. No interior catarinense, os ganhos foram de R$ 6,25 para R$ 6,40, no Paraná de R$ 6,35 para R$ 6,45 no mercado livre e na integração continuou em R$ 5,25.

No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande teve aumento de R$ 6,10 para R$ 6,20 e na integração seguiu em R$ 5,30. Em Goiânia, o preço subiu de R$ 6,70 para R$ 6,80. No interior de Minas Gerais, os preços continuaram em R$ 7,00. No mercado independente, por outro lado, os preços tiveram elevação de R$ 7,00 para R$ 7,20. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis teve alta de R$ 6,10 para R$ 6,25 e, na integração do estado, permaneceu em R$ 5,30.

Exportações

As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 208,476 milhões em novembro (20 dias úteis), com média diária de US$ 10,423 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 91,181 mil toneladas, com média diária de 4,559 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.286,40.

Em relação a novembro de 2022, houve baixa de 3,9% no valor médio diário, ganho de 7,5% na quantidade média diária e queda de 10,6% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2023 – Grupo CMA

Acompanhe a Agência Safras no nosso site. Siga-nos também no InstagramTwitter e SAFRAS TV e fique por dentro das principais notícias do agronegócio!