Café sobe em NY com recuperação técnica e apreensão com oferta

384

     Porto Alegre, 13 de dezembro de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta segunda-feira com preços acentuadamente mais altos.

     Após acumular perda de 4,4% na semana passada (posição março/2022), o café subiu neste começo de semana com recuperação técnica e cobertura de posições vendidas. Porém, o mercado segue distante das máximas alcançadas na semana passada, quando na terça-feira (dia 07) o contrato março bateu em 252,35 centavos de dólar, patamar mais elevado em 10 anos.

     A apreensão com a oferta segue sendo aspecto citado pelos traders, com temores envolvendo a safra de 2022 do Brasil e o quadro de dificuldades logísticas para as exportações, com falta de contêineres, entre outros aspectos.

     As exportações totais de café em novembro do Brasil, somando café verde e industrializado (torrado e moído e solúvel), ficaram em 2,930 milhões de sacas de 60 quilos, apresentando queda de 38,6% no comparativo com o mesmo mês de 2020 (4,770 milhões de sacas). Os dados fazem parte do relatório estatístico mensal do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

     Com o ingresso de US$ 570,6 mil em novembro, a receita cambial com as exportações brasileiras de café avançou para US$ 5,4 bilhões no acumulado de 2021, apresentando evolução de 5,9% na comparação com os ingressos obtidos em igual período de 2020. No mesmo intervalo, o volume embarcado recuou 10%, fechando os 11 primeiros meses deste ano em 36,3 milhões de sacas de 60 kg.

    Os contratos com entrega em março/2022 fecharam o dia a 236,70 centavos de dólar por libra-peso, alta de 4,10 centavos, ou de 1,8%. A posição maio/2022 fechou a 236,50 centavos, elevação de 4,15 centavos, ou de 1,8%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA