Primeira semana de 2022 é marcada por preços em queda no frango

560

     Porto Alegre, 7 de janeiro de 2022 – A primeira semana de negócios de 2022 foi marcada por um cenário de preços estáveis a mais baixos para os cortes de frango negociados no atacado e na distribuição e por preços de estáveis a mais baixos para o quilo vivo na maioria das praças de comercialização do Brasil.

     Para o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, o mercado segue sem forças para se recuperar em meio ao quadro de ampla oferta. “A demanda por pinto de cortes continua aquecida, o que leva ao entendimento de que a oferta seguirá elevada ao longo das próximas semanas”, pontua. O custo de produção em alta é outro ponto de preocupação, o que ajuda a pressionar as margens da atividade.

     A perspectiva para a demanda doméstica, por outro lado, segue positiva, considerando que a carne bovina permanece em patamares elevados na ponta final. “Em um cenário econômico adverso, é natural que ocorra uma migração para produtos substitutos mais acessíveis, como a carne de frango e o ovo”, pontua.

     De acordo com levantamento de SAFRAS & Mercado, no atacado de São Paulo os preços tiveram algumas mudanças para os cortes congelados de frango ao longo da semana. O preço do quilo do peito baixou de R$ 8,00 para R$ 7,90, o quilo da coxa seguiu em R$ 6,50 e o quilo da asa em R$ 8,50. Na distribuição, o preço do quilo do peito caiu de R$ 8,25 para R$ 8,10, o quilo da coxa permaneceu em R$ 6,80 e o quilo da asa em R$ 8,75.

     Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário também foi modificações nas cotações durante a semana. No atacado, o preço do quilo do peito caiu de R$ 8,10 para R$ 8,00, o quilo da coxa continuou em R$ 6,60 e o quilo da asa em R$ 8,60. Na distribuição, o preço do quilo do peito diminuiu de R$ 8,35 para R$ 8,20, o quilo da coxa prosseguiu em R$ 6,90 e o quilo da asa em R$ 8,85.

     O levantamento semanal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil apontou que, em Minas Gerais, o quilo vivo caiu de R$ 5,10 para R$ 4,90. Em São Paulo o quilo permaneceu em R$ 5,00.

     Na integração catarinense a cotação do frango subiu de R$ 4,00 para R$ 4,10. No oeste do Paraná o preço continuou em R$ 5,10. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo retrocedeu de R$ 5,20 para R$ 4,90.

     No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango caiu de R$ 5,00 para R$ 4,80. Em Goiás o quilo vivo mudou de R$ 5,00 para R$ 4,80. No Distrito Federal o quilo vivo passou de R$ 5,10 para R$ 4,80.

     Em Pernambuco, o quilo vivo se manteve em R$ 6,10. No Ceará a cotação do quilo prosseguiu em R$ 6,10 e, no Pará, o quilo vivo continuou em R$ 6,20.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA