Preços do boi encontram ponto de equilíbrio com oferta curta e demanda enfraquecida

640
carne bovina

    Porto Alegre, 12 de janeiro de 2024 – O mercado físico do boi gordo volta apresentou preços mistos ao longo da semana. Segundo o analista da Consultoria SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, um ponto de equilíbrio parece ter sido alcançado em grande parte do país.

“A oferta no geral segue restrita, enquanto a demanda doméstica de carne bovina ainda patina em um momento de fraco consumo, considerando a descapitalização da população. Sob o prisma da oferta, o pecuarista encontrará boas condições para cadenciar o ritmo das negociações até o final do primeiro trimestre”, assinalou Iglesias.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 11 de janeiro:

* São Paulo (Capital) – R$ 250,00 a arroba, contra R$ 245,00 a arroba no dia 4, subindo 28%.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 240,00 a arroba, contra R$ 250,00, caindo 4%.

* Goiânia (Goiás) – R$ 240,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 230,00 a arroba, contra R$ 233,00, recuo de 1,3%.

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 211,00 a arroba, contra R$ 209,00 (+0,96%).

Receita com exportações caiu 17% em 2023

As exportações totais de carne bovina (in natura + processada) nos 12 meses de 2023 apresentaram queda de 17,15% na receita em relação a 2022, informou a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), com base nos dados compilados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). No volume movimentado, porém, a exportação se recuperou e apresentou alta de 8,15% sobre 2022.

    Segundo a Abrafrigo, em 2022 a receita com as exportações foi de US$ 13,09 bilhões e em 2023 este valor caiu para US$ 10,845 bilhões. No volume, foram exportadas 2.345 milhões de toneladas do produto em 2022 e, em 2023, a movimentação alcançou 2.536 milhões de toneladas. A queda na receita foi provocada por preços médios menores praticados nos principais países importadores. No caso da China, responsável por metade da carne bovina exportada pelo Brasil, a queda foi de 25,43% em 2023, para US$ 4.761 por tonelada, frente ao ano anterior. No caso dos EUA, segundo maior comprador da carne bovina brasileira no mercado internacional, a queda em 2023 foi de 38%, para US$ 3.121 por tonelada. No geral, o preço médio da carne bovina exportada pelo Brasil em 2023 foi de US$ 4.277 por tonelada, em comparação com os US$ 5.583 por tonelada obtidos em 2022.

A recuperação no volume se acentuou em dezembro. Em 2022, o Brasil exportou 186.034 toneladas no mês e, em 2023, no mesmo período, foi a 282.513 toneladas, num crescimento de 52%. A receita também aumentou de US$ 850 milhões em 2022 para US$ 1,090 bilhão em 2023, com alta de 28%, mas não foi suficiente para recuperar a queda anual. Os preços médios também caíram em dezembro. Em 2022, o Brasil obteve US$ 5.582 por tonelada neste mês e, em 2023, o valor caiu para US$ 3.861 por tonelada.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2024 – Grupo CMA