Oferta se ajusta a novo padrão de demanda e preços do boi reagem na semana

279

    Porto Alegre, 05 de novembro de 2021 – O mercado físico de boi gordo registrou preços um pouco mais firmes ao longo desta semana curta, após o feriado de Finados na terça-feira. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os preços começaram a reagir em algumas praças de produção e comercialização, com o volume de animais ofertados começando a se adequar a uma nova realidade em termos de demanda, mais focada no mercado doméstico.

   “Os danos provocados pela ausência da China na ponta importadora seguem presentes no dia a dia do mercado, com prejuízos tanto para criadores como para frigoríficos. No caso da indústria, os prejuízos vêm na forma de aumento da capacidade ociosa, somada ao custo de manutenção dos estoques. Para o pecuarista, a manutenção dos animais nos confinamentos, com altos custos de nutrição em meio a uma forte queda dos preços da arroba resultou em um prejuízo que varia de R$ 500 a R$ 1.000 por cabeça, conforme a região”, apontou Iglesias.

    O mercado atacadista também apresentou melhoras em termos de preços. O ambiente de negócios passa a sugerir espaço para alta, mesmo que comedida, principalmente nos cortes do dianteiro bovino, aqueles que sofreram as quedas mais intensas desde o início do embargo à exportação de carne bovina do Brasil para a China.

    “De qualquer maneira, ainda há um grande volume de carne bovina estocada em câmaras frias aguardando um posicionamento por parte da China. A preocupação é que esse estoque precise escoado no mercado interno, caso demore ainda mais para a retomada das exportações ao nosso até então maior mercado”, alertou.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA