Mercado de milho deve seguir com negócios tímidos no Brasil

1080
milho

     Porto Alegre, 23 de junho de 2022 – O mercado brasileiro de milho deve registrar uma quinta-feira de movimentação tímida nos negócios, diante da continuidade do cenário de queda do petróleo e da Bolsa de Chicago. Os preços internos devem ser pressionados pela expectativa de entrada de oferta da safrinha no mercado.

     O mercado brasileiro de milho teve preços mais baixos nesta quarta-feira. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a pressão de queda foi dominante em relação aos preços envolvendo a safrinha no decorrer do dia, consequência da continuidade do movimento de queda em Chicago. Os consumidores ainda atuam de maneira tímida neste momento, aguardando a entrada da safrinha no mercado.

     No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 92,00 (compra) a R$ 97,00 (venda) a saca (CIF) para maio. Já no Porto de Paranaguá, cotação entre R$ 92,00/98,00 a saca para maio.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 86,00/90,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 87,00/90,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 89,00/91,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 93,00/95,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 79,00/81,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 79,00/R$ 83,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 72,00/78,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos com entrega em julho de 2022 operam com perda de 9,50 centavos em relação ao fechamento anterior, ou 1,23%, cotada a US$ 7,58 1/2 por bushel.

* O mercado segue sendo pressionado pelo clima favorável às lavouras nos Estados Unidos. Chuvas estão previstas em boa parte do cinturão produtor para os próximos dias. O sentimento de aversão ao risco também segue pressionando grande parte dos contratos, dos quais, em sua maioria, despencam mais de 2%.

* Ontem (22), os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 7,68 por bushel, ganho de 7,25 centavos de dólar, ou 0,95%, em relação ao fechamento anterior. A posição setembro de 2022 fechou a sessão a US$ 7,02 por bushel, baixa de 7,25 centavos, ou 1,02% em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra alta de 0,38% a R$ 5,1980. O Dollar Index registra alta de 0,35% a 104,56 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +1,62%; Tóquio, +0,08%.

* As principais bolsas na Europa registram índices fracos. Londres, -0,06%; Paris, -0,01% e Frankfurt, -0,62%.

* O petróleo opera em queda. Agosto do WTI em NY: US$ 106,00 o barril (-0,17%).

AGENDA

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana anterior será publicada às 12h pelo Departamento de Energia (DoE).

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (24/06)

– Japão: O índice de preços ao consumidor de maio será publicado na noite anterior pelo departamento de estatísticas.

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga, às 9h, IPCA-15referente a junho.

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga, às 9h, IPCA-E referente ao período entre abril e junho.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Relatório de condições das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras no Mato Grosso – Imea, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA