Cotações futuras do petróleo têm leve alta com recessão e temporada de férias no radar

157

     Porto Alegre, 23 de maio de 2022 – Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em alta, mas perto da estabilidade, com as preocupações com uma possível recessão competindo com uma perspectiva de maior demanda de combustível com a próxima temporada de férias norte-americana e os planos de Xangai de reabrir após um bloqueio de dois meses por coronavírus.

    Múltiplas ameaças à economia global superaram as preocupações dos países mais ricos do mundo na cúpula econômica anual de Davos, com algumas sinalizando o risco de uma recessão mundial.

    A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva, disse que não espera uma recessão para as principais economias, mas não é possível descartar sua possibilidade.

    As perdas do petróleo foram limitadas pelas expectativas de que a demanda por gasolina permaneceria alta. Os Estados Unidos entram em sua temporada de viagens de carro a partir do fim de semana do Memorial Day no final desta semana.

    Apesar dos temores de que o aumento dos preços dos combustíveis possa prejudicar a demanda, analistas disseram que os dados de mobilidade da TomTom e do Google aumentaram nas últimas semanas, mostrando mais motoristas nas estradas.

    Para lidar com uma grande crise de oferta e um aumento abrupto dos preços, a Casa Branca está avaliando uma declaração de emergência para liberar diesel de um estoque raramente usado, disse um funcionário do governo.

    A Casa Branca está considerando explorar a Reserva de Petróleo de Aquecimento Doméstico do Nordeste, criada em 2000 para ajudar com problemas de abastecimento e usada apenas uma vez em 2012 após o furacão Sandy. O impacto de tal liberação seria limitado pelo tamanho relativamente pequeno da reserva, que contém apenas 1 milhão de barris de diesel.

    A incapacidade da União Europeia de chegar a um acordo final sobre a proibição do petróleo russo após a invasão da Ucrânia limitou os ganhos do preço do petróleo. A Hungria continua resistindo à proibição proposta, garantindo nenhum choque repentino no fornecimento.

    O aperto persistente nos produtos petrolíferos refinados nos Estados Unidos e o risco sempre presente causado pela guerra sustentaram os preços, afirmam analistas da Oanda.

     Xangai, o centro comercial da China, pretende normalizar a vida a partir de 1º de junho, à medida que o número de casos de coronavírus diminui.

    Os bloqueios na China, o maior importador de petróleo do mundo, prejudicaram a produção industrial e a construção, levando a medidas de apoio econômico, incluindo um corte na taxa de hipotecas maior do que o esperado na sexta-feira.

    O preço do contrato do petróleo WTI negociado na Nymex com entrega para julho subiu 0,23%, cotado a US$ 110,29 o barril. Já o preço do contrato do Brent negociado na plataforma ICE, com entrega para julho avançou 0,78%, cotado a US$ 113,42 o barril.

    As informações partem da Agência CMA.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA