Avaliando perspectiva de ampla oferta, milho fecha com baixa predominante em Chicago

466
milho

    Porto Alegre, 10 de julho de 2024 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços predominantemente mais baixos. O mercado foi pressionado por uma perspectiva de que a produção dos Estados Unidos será maior do que o anteriormente estimado por analistas e pelas melhores condições das lavouras estadunidenses.

    A posição setembro/24 foi a única que não acompanhou o mesmo fluxo, registrando um avanço diante de uma recuperação técnica frente as perdas recentes. A alta do petróleo em Nova York e a desaceleração do dólar frente a outras moedas correntes também atuaram como fatores positivos aos preços.

    Com isso, os agentes também se posicionam com antecedência aos números do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), que serão divulgados na sexta, trazendo estimativas de oferta e demanda de milho norte-americano e mundial para a temporada 2024/25. Também deve atualizar dados para a temporada 2023/24.

    Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em uma produção de 15,060 bilhões de bushels de milho em 2024/25, maior que os 14,86 bilhões de bushels indicados em junho e aquém do volume produzido na safra 2023/24, de 15,342 bilhões de bushels.

    Os estoques finais de passagem da safra 2024/25 norte-americanos devem ser indicados em 2,272 bilhões de bushels, contra os 2,102 bilhões de bushels indicados em junho. Para a safra 2023/24, os estoques finais de passagem devem ser elevados de 2,022 bilhões de bushels para 2,041 bilhão de bushels.

    Para a safra global 2024/25, os estoques finais de passagem devem ser indicados em 312 milhões de toneladas, inferiores às 310,8 milhões de toneladas indicadas no relatório do mês passado. A previsão é de que os estoques finais de passagem da safra mundial 2023/24 sejam apontados em 312 milhões de toneladas, abaixo das 312,4 milhões de toneladas indicadas em junho.

    Na sessão, os contratos de milho com entrega em setembro de 2024 fecharam a US$ 3,95 3/4 por bushel, alta de 1,75 centavo de dólar, ou 0,44%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2024 fechou a sessão a US$ 4,07 1/4 por bushel, recuo de 1,25 centavo de dólar, ou 0,30%, em relação ao fechamento anterior.

Acompanhe a Safras News em nosso site. Siga-nos também no InstagramTwitter e SAFRAS TV e fique por dentro das principais notícias do agronegócio!

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Safras News

Copyright 2024 – Grupo CMA