Preços do trigo fecham maio em alta no Brasil, acompanhando Argentina

270

Porto Alegre, 3 de junho de 2022 – Os preços domésticos do trigo encerraram o mês com uma alta média de 13,4% nas principais praças de produção do país. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, esse movimento foi respaldado pela elevação das cotações na Argentina, 9,8% e pela escassez de oferta interna. “O primeiro fator eleva o custo de importação. O segundo permite que os vendedores locais ajustem suas pedidas e esse custo do produto estrangeiro”, disse.

No Paraná a base de compra fechou o mês por volta de R$ 2.300/tonelada (t) e a de venda em R$ 2.500/t. A paridade de importação FOB interior em relação ao trigo argentino está por volta de R$ 2.315/t. No Rio Grande do Sul a base de compra ficou em R$ 2.150/t e os vendedores indicando interesse a partir de R$ 2.350/t. A paridade de importação FOB interior a R$ 2.250/t.

“Com os preços domésticos ajustados à paridade de importação as cotações domésticas tendem a perder o ímpeto altista. Esse sentimento é corroborado pela recente depreciação do dólar em relação ao real e pelo enfraquecimento das cotações internacionais’, explicou.

Conab

O plantio de trigo da safra 2022 atingiu 29,5% da área no Brasil, de acordo com relatório da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com dados colhidos até 28 de maio. Na semana anterior, o plantio atingia 27,5%. Em igual período do ano passado, a semeadura atingia 32,4% da área.

Exportações

Dados divulgados nesta semana pela Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (ANEC) estimaram que o Brasil tenha exportado 109,099 mil toneladas de trigo ao longo do mês de maio. Em maio do ano passado, o Brasil não realizou embarques. Em abril de 2022, os embarques do cereal somaram 156,427 mil toneladas. No acumulado de 2022, os embarques atingem 2,395 milhões de toneladas.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório semanal, que o Paraná segue no cultivo da safra 2022 de trigo. Até agora, 61% da área de área estimada em 1,172 milhão de hectares, contra 1,225 milhão de hectares em 2021, queda de 4%.

Segundo o Deral, 98% das lavouras de trigo apresentam boas condições de desenvolvimento e 2% situação média, com 20% das lavouras em germinação, 79% em crescimento vegetativo e 1% em floração. No dia 23 de maio, o plantio atingia 53% da área e 99% das lavouras tinham boas condições e 1% situação média, entre as fases de germinação (26%) e crescimento vegetativo (74%).

A safra 2022 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 3,879 milhões de toneladas, 21% acima das 3,208 milhões de toneladas colhidas na temporada 2021. A produtividade média é estimada em 3.309 quilos por hectare, acima dos 2.632 quilos por hectare registrados na temporada 2021.

Rio Grande do Sul

O plantio de trigo na regional da Emater/RS de Frederico Westphalen, no Rio Grande do Sul, já foi iniciado. Segundo o gerente regional, o engenheiro agrônomo, Luciano Schwerz, os trabalhos não atinge 1% da área, pois foram interrompidos na semana passada devido às chuvas. A área plantada nesta temporada deve crescer entre 7% e 8%. A superfície deve totalizar 165 mil hectares.

Em nível estadual, conforme a Emater, há indicação de crescimento de área de cultivo de trigo no Rio Grande do Sul para a safra 2022, mas com proporções distintas nas diferentes regiões produtoras. Os números da projeção inicial da safra estão sendo coletados em todos os municípios produtores e serão apresentados no dia 07/06 pela Emater/RS-Ascar. A semeadura teve aumento lento no período de 22 a 29/05, condicionada pelas condições do tempo desfavoráveis, especialmente pelo excesso de umidade nos solos. As lavouras em semeadura localizam-se principalmente na região Oeste do Estado, já indicadas pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC).

Argentina

O plantio de trigo atinge 13,9% da área na Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a superfície foi cortada de 6,6 para 6,5 milhões de hectares devido ao déficit hídrico. Os trabalhos avançaram 8,6 pontos percentuais na última semana.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA