Inflação, dólar e colheita nos EUA pressionam queda forte do trigo em Chicago

212

     Porto Alegre 14 de junho de 2022 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais baixos. Conforme a Agência Reuters, a inflação alta nos Estados Unidos, com reflexo nos produtos agrícolas, pressionou as cotações. Cresce o sentimento de aperto maior que o esperado na política monetária do país, cuja decisão do Federal Reserve (Fed) sai amanhã. A força do dólar, que encarece a exportação estadunidense, e a pressão da colheita completam o quadro baixista.

     O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução do plantio das lavouras de trigo primavera. Até 12 de junho, o plantio estava apontado em 94%. O mercado esperava 91%. Na semana passada, os trabalhos cobriam 82% da área. Em igual período do ano passado, o número estava em 100% e a média dos últimos cinco anos é de 99%.

     Sobre a colheita das lavouras de trigo de inverno, até 12 de junho, estava apontada em 10%. O mercado esperava 14%. Na semana passada, eram 5%. Em igual período do ano passado, o número estava em 4% e a média dos últimos cinco anos é de 12%.

     No fechamento de hoje, os contratos com entrega em julho de 2022 eram cotados a US$ 10,50 1/4 por bushel, baixa de 20,75 centavos de dólar, ou 1,93%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em setembro de 2022 eram negociados a US$ 10,65 1/4 por bushel, recuo de 20,75 centavos ou 1,91% em relação ao fechamento anterior.

     Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA