Frigoríficos apontam para escalas de abate mais confortáveis

253

    Porto Alegre, 18 de março de 2022 – O mercado físico de boi gordo teve uma semana marcada pela acomodação nos preços. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o quadro passou a ser de escalas de abate mais confortáveis para boa parte dos frigoríficos.

    “Mesmo assim, a capacidade de exercer pressão sobre os preços das boiadas junto aos pecuaristas segue limitada, principalmente nas regiões em que a exportação é mais forte, a exemplo de São Paulo”, disse Iglesias.

   Nos outros estados, a tendência ainda aponta para menor pressão de queda. Nas regiões em que não há grande fluxo de embarques de carne bovina, a tendência é por movimentos mais acentuados de queda.

   “A diferença de formação de receitas entre frigoríficos que operam no mercado doméstico e aqueles habilitados a exportar segue gritante, considerando a dificuldade que os frigoríficos que atuam no mercado interno têm em repassar o adicional de custos de matéria-prima ao longo da cadeia produtiva”, completou Iglesias.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 17 de março:

* São Paulo (Capital) – R$ 350,00 a arroba, estável na comparação com o dia 3.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 310,00 a arroba, contra R$ 335,00 (-7,46%).

* Goiânia (Goiás) – R$ 330,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 310,00 a arroba, contra R$ 315,00, estável.

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 315,00 a arroba, contra R$ 310,00 (+1,61%).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA