Fed acredita que logo poderá elevar taxa básica de juros dos EUA

202

Porto Alegre, 26 de janeiro de 2022 – Como era amplamente esperado, o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) manteve a taxa de juros na faixa entre zero e 0,25% ao ano, mas anunciou que irá aumentá-la em breve, e também informou que irá encerrar a compra de ativos em março. A decisão é unânime.

“O Comitê busca alcançar o pleno emprego e inflação à taxa de 2% no longo prazo. Em apoio a essas metas, o Comitê decidiu manter a taxa de fundos federais entre zero e 0,25%. Com inflação bem acima de 2% e um forte mercado de trabalho, o Fomc espera que em breve seja apropriado elevar a taxa de fundos federais”, diz o comunicado.

Na decisão, o Fomc deixa claro que a mudança na política monetária atual é motivada pelo aumento da inflação e incertezas sobre a pandemia. O Comitê ressalta que apesar da queda nas taxas de desemprego, a relação de demanda e oferta, relacionadas com a reabertura da economia, continuam a elevar os níveis de inflação.

“A criação de empregos tem sido sólida nos últimos meses, e a taxa de desemprego diminuiu substancialmente. Desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia e à reabertura da economia continuaram contribuindo para níveis elevados de inflação. As condições financeiras gerais permanecem acomodatícias, em parte refletindo medidas políticas para apoiar a economia e o fluxo de crédito para famílias e empresas dos Estados Unidos”, diz o comunicado.

Sobre a compra de ativos, o Fomc modificou a orientação e, a partir de fevereiro, irá acelerar a redução do programa para US$ 30 bilhões mensais, sendo US$ 20 bilhões em títulos do Tesouro e US$ 10 bilhões em hipotecas, até encerrar a compra em março.

“O Comitê decidiu continuar a reduzir o ritmo mensal de suas compras líquidas de ativos, encerrando-as no início de março. A partir de fevereiro, o Comitê aumentará suas participações em títulos do Tesouro em pelo menos US$ 20 bilhões por mês e de títulos lastreados em hipotecas de agências em pelo menos US$ 10 bilhões por mês. As compras e participações contínuas do Fed continuarão a promover o bom funcionamento do mercado e as condições financeiras acomodatícias, apoiando assim o fluxo de crédito para famílias e empresas”, diz o Comitê no comunicado.

Na reunião anterior, o Fomc acelerou os cortes nas compras de ativos depois de mais de um ano comprando US$ 120 bilhões por mês. Em janeiro, o banco disse que iria fazer reduções de US$ 20 bilhões em títulos do Tesouro e US$ 10 bilhões em ativos hipotecários nos dois últimos meses de 2021, encerrando as compras em março.

Essa mudança de postura acontece depois que os membros do Fomc passaram a expressar preocupação com a inflação do país. Tanto Powell como outros diretores declararam que a pressão sobre os preços norte-americanos tem sido mais insistente do que o previsto por eles.

As informações são da Agência CMA.

Revisão: Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA