Em reação ao aumento do diesel, Bolsonaro troca comando do MME

148

     São Paulo, 11 de maior de 2022 – O presidente Jair Bolsonaro trocou o comando do Ministério das Minas e Energia. Bento Albuquerque foi exonerado, a pedido, e substituído pelo assessor especial do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida. A mudança está na edição desta quarta do Diário Oficial da União (DOU).

     A saída de Albuquerque ocorre após a dura reação do presidente ao aumento no preço do diesel, anunciada no início da semana pela Petrobras. Bolsonaro é contrário à atual política de preços da estatal.

      A Petrobras reajustou em 8,87% o diesel para as distribuidoras. O valor médio do litro vendido pela petroleira subiu de R$ 4,51 para R$ 4,91.

     No final da semana passada, Bolsonaro havia pedido que a estatal não aumentasse os preços, citando o ex-ministro e o presidente da companhia. “Vocês não podem, ministro Bento Albuquerque e senhor José Mauro, da Petrobras, não podem aumentar o preço do diesel. Não estou apelando, estou fazendo uma constatação levando-se em conta o lucro abusivo que vocês têm. Vocês não podem quebrar o Brasil. É um apelo agora: Petrobras, não quebre o Brasil, não aumente o preço do petróleo. Eu não posso intervir. Vocês têm lucro, têm gordura e têm o papel social da Petrobras definido na Constituição”, disse.

     A Petrobras teve lucro de R$ 44,561 bilhões no primeiro trimestre do ano, 3.718% a mais que o registrado no mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2021, a empresa a presentou lucro líquido recorde de R$ 106,6 bilhões.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS