BCE mantém taxa básica de juros, mas deve aumentar em julho

346
zona do euro

     Porto Alegre, 9 de junho de 2022 – O Banco Central Europeu (BCE) manteve a taxa básica de juros em 0% ao ano, e as de depósito em -0,5% ao ano, de acordo com o comunicado divulgado hoje.

     “O Conselho do BCE decidiu manter a taxa de juro das operações principais de refinanciamento e as taxas de juro da facilidade permanente de cedência de liquidez e da facilidade permanente de depósito em 0,00%, 0,25% e -0,50%, respectivamente”, informa o BCE.

     Apesar disso, a instituição financeira afirmou que pretende aumentar as taxas em 25 pontos-base na reunião de julho e sinalizou um possível aumento também em setembro. “Se a perspectiva de inflação de médio prazo persistir ou se deteriorar, um incremento maior será apropriado na reunião de setembro”.

     Para além de setembro, o Conselho do BCE antecipa que será adequada uma trajetória gradual, mas sustentada, de novos aumentos das taxas de juro. O compromisso do banco é estabilizar a inflação na meta de 2% no médio prazo.

     “Em maio, a inflação voltou a subir significativamente, principalmente devido ao aumento dos preços de energia e alimentos, inclusive devido ao impacto da guerra. Mas as pressões inflacionárias se ampliaram e se intensificaram, com os preços de muitos bens e serviços aumentando fortemente”, ressalta o comunicado.

     As novas projeções do corpo técnico antecipam uma inflação anual de 6,8% em 2022, antes de cair para 3,5% em 2023 e 2,1% em 2024 – superior às projeções de março.

      “A agressão injustificada da Rússia à Ucrânia continua a pesar sobre a economia na Europa e está atrapalhando o comércio, levando à escassez de materiais e contribuindo para os altos preços da energia e das commodities”, diz o banco central.

     O BCE decidiu encerrar as compras líquidas de ativos ao abrigo do seu programa de compra de ativos (APP) a partir de 1 de julho de 2022. A instituição pretende continuar a investir os pagamentos de títulos por um período “alargado” após o início da subida dos juros e “pelo tempo necessário para manter amplas condições de liquidez e uma orientação de política monetária adequada”.

      No que diz respeito ao programa de compra de emergência pandêmica (PEPP), o Conselho do BCE pretende reinvestir os pagamentos de capital dos títulos com vencimento adquiridos ao abrigo do programa até pelo menos o final de 2024. Enquanto isso, o PEPP será reajustado ao longo do tempo, quando necessário.

     O TLTRO III (operações de refinanciamento direcionadas de longo prazo) será monitorado de forma a não interferir no desempenho da economia. O prazo para o término do TLTRO III é 23 de junho de 2022.

      “O Conselho do BCE está pronto para ajustar todos os seus instrumentos, incorporando flexibilidade, se necessário, para garantir que a inflação se estabilize em sua meta de 2% no médio prazo”, ressalta o banco central. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2022 – Grupo CMA